Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução.

Todo o conteúdo deste blog (incluindo textos e imagens) é de propriedade de sua autora e estão protegidos pela Lei de Direitos Autorais Nº 9.610 de 19 de fevereiro de 1998 e pelo Artigo 184 do Código Penal Brasileiro.

Agora é Lei - O Novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa está em vigor desde 01/01/2016.
Para cursos "in company" sobre as alterações promovidas pelo Acordo Ortográfico, entre em contato pelo e-mail sandra.terciotti@gmail.com


terça-feira, 18 de outubro de 2011

Houveram casos ou houve casos?



Acabo de ouvir a apresentadora de um programa televisivo matinal dizer houveram casos. Por que essa construção está errada? Porque, nesse caso, o verbo haver é impessoal, ou seja, não tem sujeito (pessoa) com o qual deva concordar e, por essa razão, não pode ser usado no plural.

O verbo haver é impessoal em duas situações: quando indica passado e pode ser substituído por faz (Moro em São Paulo há vinte e quatro anos); quando é sinônimo de existir, suceder e fazer (Havia milhares de pessoas na passeata) e deve ser usado apenas na terceira pessoa do singular. Mas atenção: o fato de não pluralizar quando se referir a passado ou for sinônimo de existir não significa que não possa ser flexionado em todos os tempos verbais, desde que esteja na terceira pessoa do singular: houve casos, havia casos, haverá casos, se houvesse casos etc.

Nas locuções verbais formadas por um verbo auxiliar + haver, com sentido de existir, a regra se mantém, pois o haver “contamina” com sua impessoalidade o verbo auxiliar que o antecede.

Vale ressaltar que o verbo haver só é pessoal e concorda com o sujeito da oração quando equivale a ter: Os ladrões ainda não haviam sido capturados pela polícia (Os ladrões ainda não tinham sido capturados pela polícia).

Um abraço e até a próxima.
Sandra Helena

7 comentários:

  1. Muito bem explicado! Sanou minha dúvida!!!

    ResponderExcluir
  2. Obrigado por compartilhar seus conhecimentos Sandra!
    Cometo muitos erros! Mas gosto de aprender!
    Um abraço!

    ResponderExcluir
  3. Cara Cláudia,
    Fico feliz que as informações deste blog lhe estejam sendo úteis.
    Abraço,
    Sandra Helena

    ResponderExcluir
  4. Olá Sandra,
    No trecho abaixo o segundo "por que", o da resposta, não deveria ser junto?
    Obrigado!

    "Acabo de ouvir a apresentadora de um programa televisivo matinal dizer houveram casos. Por que essa construção está errada? Por que, nesse caso, o verbo haver é impessoal..."

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá,

      De fato, caro leitor, o "porque" a que você se referiu era junto e sem acento justamente porque introduzia uma resposta. Por isso, acabei de corrigi-lo.
      E obrigada por sua observação.

      Abraço,

      Sandra Helena

      Excluir
  5. Olá, na frase: "HOUVE CASOS..." casos seria objeto direto, mas e o HOUVE? Qual a análise sintática? Obrigada.

    ResponderExcluir
  6. Cara Luiza,

    O verbo "houve", nesse caso, é um verbo impessoal, justamente porque assume o significado de "existir".

    Os verbos impessoais são aqueles que não possuem sujeito, ou seja, eles aparecem em orações sem sujeito e, por essa razão, não pluralizam.

    Abraço,

    Sandra Helena

    ResponderExcluir

Adicione seus comentários e/ou perguntas. Todos os comentários aqui postados são liberados após aprovação do moderador.