Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução.

Todo o conteúdo deste blog (incluindo textos e imagens) é de propriedade de sua autora e estão protegidos pela Lei de Direitos Autorais Nº 9.610 de 19 de fevereiro de 1998 e pelo Artigo 184 do Código Penal Brasileiro.

Agora é Lei - O Novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa está em vigor desde 01/01/2016.
Para cursos "in company" sobre as alterações promovidas pelo Acordo Ortográfico, entre em contato pelo e-mail sandra.terciotti@gmail.com


quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

“Absolutamente” é positivo ou negativo?


A maioria das pessoas acredita que o advérbio de modo absolutamente tem significado positivo em português e negativo em inglês. No entanto, relativamente à língua portuguesa (já que a língua inglesa foge do escopo deste blog), não é tão simples assim. Ao contrário do que se imagina, em português, absolutamente não é sinônimo da expressão de forma nenhuma. Uma simples consulta ao Dicionário eletrônico Houaiss da língua portuguesa versão 2009.3 revela que esse advérbio também pode adquirir os significados afirmativos de sem dúvida que sim ou certamente que sim.


Segundo o Dicionário de Questões Vernáculas, de Napoleão Mendes de Almeida (Caminho Suave, 1981), jamais se deve interpretar que esse advérbio, por si só, indica uma ideia de negação ou de afirmação. Seu uso deve adquirir um sentido confirmativo da ideia de negação ou de afirmação que o antecede. Quando, no entanto, seu uso não esclarecer o sentido em que está sendo empregado, deve-se acrescentar-lhe alguma palavra ou expressão negativa ou afirmativa que torne claro o seu sentido. Exemplos:

Absolutamente não.

Ou mesmo:

Absolutamente sim.


Um abraço e até a próxima.
Sandra Helena

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

“O menino foi apreendido pela polícia”?


Assistindo a um programa de televisão exibido todas as manhãs, ouvi, pela enésima vez, de um repórter a seguinte afirmação:

“O menino foi apreendido pela polícia.”

“Apreendido” ou preso/capturado/aprisionado/encarcerado pela polícia?

O verbo apreender pode ser usado para significar assimilar mentamente, pegar (objetos), inquietar-se, confiscar (objetos). Não se refere, portanto, à captura de pessoas, mas sim à apreensão de objetos. Pessoas não deveriam ser apreendidas como mercadorias, mas sim presas ou capturadas. No entanto, nesse caso, o uso do verbo apreender em substituição aos verbos prender/capturar deve-se ao fato de que, segundo o ECA-Estatuto da Criança e do Adolescente (Lei 8.069/1990), o menor não comete crime, mas sim ato infracional análogo a crime, sendo assim, não se pode dizer que o menor foi preso ou capturado, mas apenas que foi apreendido. De qualquer modo, a terminologia adotada pelo ECA é bastante infeliz.
  
Outra “pérola” que tomou conta da mídia televisiva é o uso do verbo aparecer na forma reflexiva:

“Fulano fez isso para se aparecer.”

Ocorre que o verbo aparecer, com o sentido de mostrar-se/fazer-se notar/brilhar, definitivamente não é reflexivo e, além disso, é intransitivo, ou seja, não necessita de objeto direto nem indireto:

“Ela faz tudo para aparecer.”

Não sei quem foi o primeiro que usou essas “pérolas”, mas compete a cada um de nós, amantes do vernáculo, evitar que essas pragras se espalhem por aí.

Um abraço e até a próxima.
Sandra Helena

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Crudivorismo


Você sabe o que é crudivorismo? É o nome que se dá ao comportamento do crudívoro, ou seja, da pessoa que prefere ou aprecia alimentos crus. Há inclusive vários livros sobre essa prática.


Já que estamos falando de hábitos alimentares, você sabe o que é vegano(a)? Do inglês vegan, que é uma curruptela de vegetarian, o veganismo é mais uma filosofia de vida do que um hábito alimentar, pois se baseia no direito dos animais irracionais  - ou animais não humanos, ou sencientes (os quais percebem pelos sentidos), como preferem chamá-los. Segundo a Wikipédia, o termo foi criado em 1944 por um grupo dissidente de vegetarianos que, por razões ideológicas, decidiram romper com a The Vegetarian Society e fundar a The Vegan Society.

Vegano(a) é, portanto, o nome que se dá ao vegetariano que se abstém de quaisquer produtos (alimentares ou não) de origem animal, incluindo gelatina, queijos, ovos, mel, peixe, entre outros. Relativamento a alimentos, os veganos consomem apenas cereais, frutas, legumes, hortaliças, algas, cogumelos ou outros alimentos, industrializados ou não, que não contenham quaisquer ingredientes de origem animal.

Vale ressaltar, no entanto, que vegano e veganismo ainda não fazem parte do VOLP – Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa, publicado pela Academia Brasileira de Letras, nem da última versão do Dicionário Houaiss, versão essa publicada em 2009 e atualizada segundo as novas regras ortográficas. Isso significa que, oficialmente, esses dois vocábulos ainda não fazem parte do léxico da língua portuguesa. Somente depois de passarem por uma espécie de "quarentena", ou seja, por um período considerável de tempo que determina se os vocábulos foram incorporados à língua ou se não passaram de modismos, eles serão dicionarizados.

Um abraço e até a próxima.
Sandra Helena