Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução.

Todo o conteúdo deste blog (incluindo textos e imagens) é de propriedade de sua autora e estão protegidos pela Lei de Direitos Autorais Nº 9.610 de 19 de fevereiro de 1998 e pelo Artigo 184 do Código Penal Brasileiro.

Agora é Lei - O Novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa está em vigor desde 01/01/2016.
Para cursos "in company" sobre as alterações promovidas pelo Acordo Ortográfico, entre em contato pelo e-mail sandra.terciotti@gmail.com


quinta-feira, 20 de junho de 2013

Vírgula e mudança de sentido

Para preserver identidades pessoais e institucionais, o texto abaixo foi adaptado de um cartaz de protesto. 

Vejam se conseguem entender a mensagem:

“Professor Beltrano Superintendente Geral, pedimos que se junte a nós contra a luta demonstrando qual a sua posição. Com os últimos acontecimentos da semana que logo publicaremos mais que nunca precisamos do senhor ao nosso lado. Podemos contar com isso?”

Do modo como está escrito,  esse texto está totalmente caótico e, por isso mesmo, sem sentido. Mas se colocarmos as vírgulas que estão faltando e que, nesse caso, seriam obrigatórias, o texto torna-se inteligível e passa a fazer sentido. Observem:

“Professor Beltrano, Superintendente Geral, pedimos que se junte a nós contra a luta, demonstrando qual a sua posição. Com os últimos acontecimentos da semana, que logo publicaremos, mais do que nunca precisamos do senhor ao nosso lado. Podemos contar com isso?”

Notaram a diferença? Ficou bem mais inteligível, não é mesmo?!

Agora, vejamos as explicações de cada uma das vírgulas empregadas. 

A vírgula que separa BELTRANO de SUPERINTENDENTE GERAL deve ser empregada porque separa o vocativo PROFESSOR BELTRANO de seu aposto SUPERINTENDENTE GERAL; a virgula que separa LUTA de DEMONSTRANDO também deve ser empregada porque separa a oração principal PEDIMOS QUE SE JUNTE A NÓS CONTRA A LUTA de sua subordinada de gerúndio DEMONSTRANDO QUAL A SUA POSIÇÃO – embora essa vírgula não seja obrigatória, visto que a reduzida vem depois e não antes da principal, recomendamos seu emprego em prol da clareza; as duas últimas vírgulas do parágrafo também devem ser empregadas para separar a oração subordinada adjetiva explicativa QUE LOGO PUBLICAREMOS, que está intercalada entre o adjunto adverbial de causa COM OS ÚLTIMOS ACONTECIMENTOS DA SEMANA e a oração principal MAIS DO QUE NUNCA PRECISAMOS DO SENHOR AO NOSSO LADO. Além das vírgulas, precisamos acrescentar o DO à conjunção comparativa MAIS QUE.

Viram como a falta de vírgulas essenciais à compreensão compromete o sentido do texto?

Um abraço e até a próxima,
Sandra Helena



    

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Adicione seus comentários e/ou perguntas. Todos os comentários aqui postados são liberados após aprovação do moderador.